quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Uma história de Natal

...não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria... Lucas 2:10

Tudo na vida de Lúdico era uma festa, fosse o simples sorriso de alguém no meio da rua, fosse a comemoração mais estapafúrdia que pudesse participar.

Não perdia um evento, encontro de ex-colegas, almoços de família e, até, o baile da 3a idade do parque, ainda que ele ainda estivesse longe de alcançá-la.

Para ele o Natal era o ápice de um ano festivo e a linha divisória que marcava o início de mais um ano de comemorações.

Amava todos os símbolos e hábitos natalinos. Ia ver a iluminação da Paulista, do Ibirapuera e da Rua Normandia. Comprava presentes para todos que imaginava que encontraria na ceia. Não poucas vezes entrou na fila e sentou no colo do papai noel de algum shopping, para deleite e risadas das crianças.

Comia, bebia e cantava Jingle Bells em várias línguas até o sol raiar.

No extremo oposto de toda essa alegria estava Lídimo. Um sujeito sério e carrancudo que achava intolerável todos os desvios do que ele chamava de compostura. Jamais sorriria para um estranho no meio da rua, aliás, jamais sorria.

O Natal de Lídimo era espartano. Rejeitava árvores pelas suas origens pagãs, abominava papai noel e discursava de maneira inflamada em defesa do verdadeiro sentido do Natal.

Sua comemoração se resumia ao culto formalíssimo de sua igreja, aos votos de feliz Natal ao pastor e demais pessoas que estivessem presentes no culto. Depois ia para casa e só não dormia imediatamente pois o barulho dos fogos lhe davam insônia.

Num certo Natal, por um contratempo, Lúdico se viu sozinho. Os familiares não fizeram a festa tradicional pois um deles estava hospitalizado em estado grave e cancelaram o jantar poucas horas antes do seu início.

Sem saber o que fazer, ele saiu passeando a pé pelas ruas da cidade.

No mesmo certo Natal, por outro contratempo, Lídimo se viu sozinho. Atendendo o pedido de vários membros que queriam viajar, a comemoração de Natal da igreja fora antecipada em 3 semanas (um absurdo, segundo Lídimo) e não houve culto no dia 24.

Sem saber o que fazer, ele saiu passeando a pé pelas ruas da cidade.

Lúdico viu aquele homem sozinho sentado no banco da praça e resolveu sentar-se ao lado dele. Como de hábito, ofereceu um sorriso. O homem era Lídimo, que não sorriu mas, apesar de carrancudo, era um sujeito educado e saudou Lúdico com um boa noite.

Lúdico puxou papo sobre as festas. Lídimo soltou o seu discurso. Lúdico ouviu-o atentamente, até o fim.

Depois começou a falar sobre a alegria de viver, sobre o sorriso das crianças, sobre o prazer de estar com as pessoas.

Lídimo se emocionou. Tantos Natais solitários e, no mais solitário de todos, alguém lhe falava de alegria.

Repensou seu discurso, e passou a falar de Jesus para Lúdico. Falou de sacrifício, de salvação, de vida eterna.

Enquanto falava, o Espírito tocou o coração de Lúdico.

Lídimo descobriu que era possível crer na alegria.

Lúdico descobriu que era possível se alegrar na fé.

Juntos foram até a loja de conveniência do posto de gasolina da praça e cearam juntos comendo pão de queijo e tomando um refrigerante.

Nunca mais tiveram um Natal sem Cristo ou sem alegria.

13 comentários:

Virginia Susana disse...

Vamos sorrir sempre, espalhar alegria e ter muita fé e esperança, Feliz Natal a todos e que sempre tenhamos alguém especial para amar...

Taty disse...

Lindo! Muito lindo! Feliz Natal...

Anônimo disse...

Obrigada caro amigo

Que a alegria do Natal nos abençoe e traga para dentro dos nossos corações a esperança e a coragem de aprender com o outro!

Feliz Natal e Ano Novo.

Abraços
Ana Maria Barbosa

Marcos C Ribeiro disse...

Bela história . Cada um de nós tem um pouco de lídimo e lúdico , não ? Este encontro interior tambem pode reforçar a fé com alegria !
Abração
Marcos

Anônimo disse...

VOCÊ REALMENTE ME EMOCIONOU MEU AMIGO! É RARO EM DIAS COMO OS DE HOJE, VERMOS PESSOAS QUE CONSEGUEM SER ALEGRES NA FÉ E/OU QUE CREIAM NA ALEGRIA. MEU DESEJO É DE QUE MUITOS LÍDIMOS E LÚDICOS SE ENCONTREM NESSE NATAL. ABRAÇOS E BENÇÃOS DO MENINO JESUS À VOCÊ, SUA FAMÍLIA E TODOS OS LEITORES DO MENS INSANA. QUE TODOS TENHAM UM NATAL COM CRISTO E MUITA ALEGRIA. Ione Nadu

Rubinho Osório disse...

Lindo, cara! Reafirma o valor da alegria e o valor da fé. E como é importante que as duas andem juntas.

Arimar disse...

Fabio , Virgínia, Letícia e Samuel.

Lindo mesmo !!!!
Um lindo Natal. Que saibam conviver em nossos corações.
Beijos.
Arimar

Vilma A. de Mello disse...

Um natal muito feliz para você e os seus...

abraço

Anônimo disse...

Fabio, Virginia e filhos...este ano, em especial, coloquei à prova este misto de fé e alegria. Não posso me dizer vencedora, mas sim lutadora...mesmo que existam ainda tantos altos e baixos.
Obrigada por crer e alegrar a tantos...
Abraços
Acy Cordeiro

Bel disse...

Que lindo... fiquei sem palavras, só com vontade de compartilhar esta história tão linda, que se atrela à história maior!

Um natal de paz pra vocês, grande abraço!!!

Elis Zampieri disse...

Fabio, querido... Paz e luz no seu caminho. Que 2012 venha com muitas bençãos para você e sua família.

Elis

Eduardo Ramalho disse...

Meu caro Fabio
Muito legal a mensagem. Aproveito e desejo a vc, sua família e seus queridos um Natal feliz como o de Lídimo e Lúdico, e que 2012 seja de muita paz, saúde e prosperidade, e que também consigamos fazer grandes, exitosos e felizes negócios juntos.

Abração

Heloisa Martoni disse...

Gostei, Fábio! É sempre possível a comunicação entre duas pessoas, mesmo que elas sejam tão diferentes, quando o Espírito Santo entra em ação. Feliz Natal! Um abraço, Heloisa Martoni