terça-feira, 8 de junho de 2010

Cinderello


Durante toda a sua vida Felipe guardou com cuidado o par de sapatos de cristal que tinha herdado de sua avó.

Só deveria entregá-los à mulher que ele descobrisse como sendo a primeira e a última de sua vida.

Não seria uma missão fácil, ele sabia, a começar pelo tamanho dos sapatos que eram minúsculos, o que limitava seus namoros a mulheres com pés de crianças.

Mariana sofreu dolorosamente com bolhas e calos antes de concluir que não o amava tanto assim para passar o resto da vida com bandaids nos calcanhares.

Justina foi vítima de um encurtamento da musculatura ísquio tibial e vivia com dores na na região lombar.

Claudinha, por outro lado, enfrentou a formação de neuromas e o abandonou antes que virassem uma fascite plantar.

O metatarsos de Carolina não resistiram sequer uma semana aos calçados de cristal oferecidos pelo namorado.

Ana Maria concluiu que cristal não era permeável e não permitia nenhum tipo de ventilação para os seus pés delicados, logo começaram a surgir fungos entre os dedos.

A vida amorosa de Felipe se dividia entre encontros românticos e visitas aos ortopedistas.

Até o dia em que conheceu Sara. Um mulherão que calçava quase 40 e que o deixou completamente apaixonado e confuso. Como resolver a situação?

Estavam caminhando pelo parque do Ibirapuera quando ele, finalmente, tomou coragem, e contou a história dos sapatos para ela.

Ela sorriu e pediu para ver os sapatos. Pegou-os, olhou-os com carinho e admiração.

Depois quebrou os dois no primeiro poste que encontrou e atirou os cacos de vidro no lixo reciclável.

E viveram felizes para sempre.

5 comentários:

Vilma A. de Mello disse...

Algumas tradições não resistem a um grande amor

beijos de terça feira

Rubinho Osório disse...

Pena que tanta gente continue a manter os sapatinhos, sofrendo e fazendo sofrer a quem ama.

clau disse...

Pois nao é que eu deveria ter feito isto, eu tb! rss rss
Bjs!

Bel disse...

Poderoooosa!!! Sabia que valia mais que os sapatos... e tudo o que eles representavam.

Ponto de Fuga disse...

A Sara mandou muito bem!...
Rs....rs, mostrando logo no começo como uma relação deve seguir, baseada na reciclagem.
;-D.. beijao!