sábado, 21 de dezembro de 2013

Aparições

A foto parecia ser apenas mais uma daquelas tantas que se encontram em exposições. Preto e branco. Composição geométrica alternando curvas e retas. Um ser vivo aparentemente perdido em meio a um contexto domiciliar comum. Bem ao estilo casual de Marina.
 
O que a diferenciava de outras não era o espelho no meio da imagem, mas o fato de Marina ter se deixado aparecer nele. E, definitivamente, não tinha sido nem um acidente, nem uma distração pois, mesmo entrecortada, a imagem dela ocupava um lugar nobre na foto.
 
Exatamente por isso é que Audálio se transtornou ao passar diante daquele painel. Sua vontade foi de falar imediatamente com ela e exigir que a foto fosse retirada da exposição. Aquilo era uma indecência.
 
No entanto, ao ir em direção da namorada percebeu que ela estava cercada de gente. Amigos, colegas de trabalho do jornal e até algumas pessoas da empresa que patrocinavam a mostra. Audálio tinha o estopim curto mas, ao mesmo tempo, detestava dar vexame em público.
 
Resolveu esperar até o final do evento.
 
Quando saíram, mal entraram no carro e ele começou a disparar cobranças contra ela. Que palhaçada era aquela foto. Como ela podia expor e se expor daquela maneira e, o pior de tudo para ele, como é que ela poderia expô-lo daquela maneira?
 
Marina o ouvia tranquilamente, sem refutar uma única palavra que ele dizia, o que o deixava ainda mais furioso. Quando já estavam perto de casa ela pediu que ele fosse com ela até o estúdio, o que ele fez, mesmo sem entender o por quê.
 
Entraram em silêncio. Ela sorrindo, ele bufando.
 
Ela começou a abrir as gavetas das pranchas das suas exposições fotográficas e a mostrar para ele fotos que tinham sido expostas desde que eles estavam juntos.
 
Da primeira mostra depois que começaram a namorar ela mostrou uma onde apareciam os seus pés. Da seguinte, a foto onde estavam o seu umbigo. A que tinha um decote, que era o dela. A cada nova exposição suas aparições, ainda que não explícitas, eram mais ousadas.
 
À medida que Marina mostrava as fotos, Audálio ia ficando mais furioso. Como ela tinha feito aquilo com ele? Era um abuso, uma enganação, uma traição. Para ele era o fim, não podiam continuar juntos depois disso.
 
Marina olhou com firmeza para ele e disse:
 
" - É verdade, não faz mais o menor sentido continuarmos juntos. Durante todo esse tempo eu sempre fazia uma aparição nas minhas fotos com o objetivo de te agradar. Você não me reconheceu em nenhuma delas, ou melhor, só reconheceu hoje as minhas nádegas. Já que isso é tudo que eu represento para você, adeus".

Um comentário:

Taty disse...

Marina me deu um conselho: antes de expor minhas fotos, vou dar uma olhada no espelho....Beijos