domingo, 26 de agosto de 2012

Um paradigma a menos

Mensagem
Ela achava que tinha saído com ele apenas para tomar um café. Quando muito uma caminhada pelo shopping
 
Não se surpreendeu quando ele perguntou se poderia levá-la a um lugar diferente, sabia que ele era um sujeito criativo e aceitou o convite.
 
Tomou um susto quando ele embicou o carro na entrada do estabelecimento. Chegou mesmo a corar, em seus não poucos anos de vida ela nunca tinha entrado num lugar daqueles.
 
Era uma mulher extremamente pudica e recatada, nunca imaginou que poderia fazer aquele tipo de programa fora das quatro paredes da sua casa.
 
Não era tão ingênua a ponto de não saber o que iria acontecer mas, para ela, aquilo era uma coisa de mulheres muito diferentes dela, mulheres liberais...ou liberadas, como definir melhor?
 
Ao mesmo tempo sentiu, sem tentar demonstrar, um certo entusiasmo com a ousadia dele.
 
Ele percebeu a mistura de desconforto e excitação nos seus olhos. Elegante, antes de entrar, perguntou de novo se ela topava o programa.
 
Ela respondeu com a voz trêmula que sim, mas fez questão de deixar claro que era a sua primeira vez e que ela não sabia exatamente como agir.
 
Além do que, nunca passara pela sua cabeça pagar para ter acesso aquele tipo de coisa.
 
Entraram. Ela se manteve calada por um tempo.
 
Ela olhava cada detalhe do lugar com um certo temor. Já ouvira falar daquele tipo de instalação e dos seus equipamentos, encantou-se ao vê-los pessoalmente.
 
Ficou particularmente encantada com o grande tanque de água no fundo do salão. Parecia um sonho de espuma.
 
Ele tratou toda a situação de forma muito delicada procurando deixá-la à vontade o tempo todo. Foi bem sucedido.
 
No caminho de volta ela confessou. Sempre acreditara que roupa suja só se lavasse em casa. Naquele dia tinha descoberto o prazer de deixar toda a roupa numa lavanderia.

domingo, 12 de agosto de 2012

Um dia de pais

Mensagem
Lendo uma mensagem do Markiano Charam (Filho) me coloquei a refletir o que carrego em mim do meu pai e o que, talvez meus filhos levarão de mim.
 
Com o meu pai aprendi muito, especialmente a pensar, pesar contrários, formar a minha própria opinião, nem sempre igual a dele.
 
Aprendi olhar para o passado como lição e para o futuro com muito planejamento.
 
Aprendi a ser irônico e a entender que muitos não entenderiam isso e outros se ofenderiam (e como se odendem...).
 
Aprendi a ser generoso e não me apegar excessivamente aos valores materiais.
 
Herdei o prazer pela leitura. A mania de colecionar tranqueiras. A obssessão por catalogar tudo.
 
Nenhuma dessas coisas ele me ensinou em conversas e lições, todas foram transmitidas pela sua vida e seus exemplos.
 
Sendo pai há quase 14 anos também vejo características minhas nos meus filhos que vão muito além da genética.
 
Posso ensinar matemática, português ou geografia para os meus filhos mas, valores e comportamentos eles só vão aprender a partir daquilo que eu mostrar para eles.
 
Que eles possam ser sábios o suficiente para reter o que é bom e descartar o que não vale a pena.
 
Descrição da imagem : foto do meu pai e minha filha (faltou meu filho, mas não tenho fotos recentes só com os três).