domingo, 13 de junho de 2010

Uma perca de menas

Perca é a denominação de qualquer espécie do gênero-tipo dos percídeos, como, por exemplo, a Perca fluviatilis que você vê à sua esquerda.

Dizem que é um peixe excelente para um bom assado e que seus filets também podem ser feitos em alcaparras ou à milanesa.

Algumas percas são tão espertas que chegam mesmo a inovar a língua portuguesa, como bem descobri hoje ao ler um texto onde uma pessoa lamentava a perca total de audição de um dos seus alunos.

No começo fiquei sem entender o que o peixe fazia no ouvido do garoto, até que caí na real.

Como se tratava de uma professora, profissão pela qual nutro o maior respeito, conclui que eu vivi quase 50 anos sem saber que existia o verbo percer (ou será o verbo percar?)

Eu perço, tu perces, ele perce, nós percemos (não confundir com percebemos que é o pretérito infinitivo so subjuntivo), vós perçais, eles percem.

A minha perca de conhecimentos só não foi menas importante porque sempre deixo a porta da minha mente meia aberta.

A partir de hoje esse blog não vai mais percer nenhum neologismo desse gênero.

sábado, 12 de junho de 2010

Assando o namorado

Se tem uma coisa eu nunca abro mão é de comemorar o dia de hoje.

Por tradição esse blog nunca deixar passar em branco uma data tão importante para a vida de todos nós.

Em 2008 listei todos os motivos para realizar uma festa e, em 2009 fiz o anúncio oficial da, então, minha nova amada.

Hoje deixo uma receita para todos aquele que se dedicam a cozinhar seus namorados (ou namoradas) em banho maria sejam mais ousados e possam assar em fogo alto suas paixões.

Bom apetite !

Ingredientes:
1 namorado( ou namorada, depende do seu gênero) de 2 ou 3 quilos
6 dentes de alho batidos com sal
3 limões cortados
camarão temperado com alho, azeite e sal
salsinha, cebolinha e coentro
6 tomates picados sem sementes
alcaparras, mostarda e azeite (para o molho)

Preparo:
Tire a pele do namorado, corte-o ao meio e lave-o.
Tempere com os dentes de alho batidos, sal e o suco de 3 limões.
Deixe no tempero durante 10 minutos.
Enquanto isso faça o recheio. Refogue os camarões no alho, azeite e sal.
Retire a água que vai se formar prá cozinhar um pouco os tomates.
Ponha essa "água" do camarão em outra panela, quando ela estiver fervendo bote os tomates picados, a salsa , a cebolinha e o coentro.
Mexa bem ate ficar consistente. Agora coloque o peixe aberto num tabuleiro forrado de batatas em rodelas.
Recheie e feche com uma linha de costura comum, embrulhe com papel alumínio e ponha no forno por quarenta minutos (ou até assar).
Retire o papel alumínio, passe um pouco de manteiga por cima e volte pro forno prá dourar um pouco.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Cinderello


Durante toda a sua vida Felipe guardou com cuidado o par de sapatos de cristal que tinha herdado de sua avó.

Só deveria entregá-los à mulher que ele descobrisse como sendo a primeira e a última de sua vida.

Não seria uma missão fácil, ele sabia, a começar pelo tamanho dos sapatos que eram minúsculos, o que limitava seus namoros a mulheres com pés de crianças.

Mariana sofreu dolorosamente com bolhas e calos antes de concluir que não o amava tanto assim para passar o resto da vida com bandaids nos calcanhares.

Justina foi vítima de um encurtamento da musculatura ísquio tibial e vivia com dores na na região lombar.

Claudinha, por outro lado, enfrentou a formação de neuromas e o abandonou antes que virassem uma fascite plantar.

O metatarsos de Carolina não resistiram sequer uma semana aos calçados de cristal oferecidos pelo namorado.

Ana Maria concluiu que cristal não era permeável e não permitia nenhum tipo de ventilação para os seus pés delicados, logo começaram a surgir fungos entre os dedos.

A vida amorosa de Felipe se dividia entre encontros românticos e visitas aos ortopedistas.

Até o dia em que conheceu Sara. Um mulherão que calçava quase 40 e que o deixou completamente apaixonado e confuso. Como resolver a situação?

Estavam caminhando pelo parque do Ibirapuera quando ele, finalmente, tomou coragem, e contou a história dos sapatos para ela.

Ela sorriu e pediu para ver os sapatos. Pegou-os, olhou-os com carinho e admiração.

Depois quebrou os dois no primeiro poste que encontrou e atirou os cacos de vidro no lixo reciclável.

E viveram felizes para sempre.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Traiçãozinha


O texto original em italiano é em prosa, dele foi feito um poemeto em inglês, a partir dos dois fiz essa traiçãozinha (tradutores são sempre traidores)

No livro em que repousa
Minha memória
Na primeira página
No capítulo que conta
Quando te encontrei
Aparecem as palavras...
Aqui começa uma vida nova

Dante Alighieri

In that book which is
My memory . . .
On the first page
That is the chapter when
I first met you
Appear the words . . .
Here begins a new life

Texto original que abre o livro Vita Nuova:

In quella parte del libro de la mia memoria, dinanzi a la quale poco si potrebbe leggere, si trova una rubrica la quale dice: INCIPIT VITA NOVA

sábado, 5 de junho de 2010

A calcinável antologia de Maio

Se você está vindo a esse blog pela primeira vez, não estranhe... é assim esquisito mesmo. Umas das coisas esdrúxulas daqui é que todos os meses pego os melhores comentários, tiro-os dos seus contextos e publíco-os. Não tente achar alguma lógica, relaxe e divirtam-se com as frases:

A coruja ainda continua sobre a caixa?

Posso ser tudo nesta vida, menos anônima e linda.

só não entendi o acoimável...

as femeas, entao, quase sempre tem aquele "um quezinho"

tenho uma hérnia em minha vida...

se depender de mim, voce vai continuar sendo incompreendido

...isto sò me faz perceber o qto sou filofòbica!

o fato de usarem uma sò cama para dormirem separados...

Vou ali tomar um remedinho e já volto...

Você engole um dicionário e quem sofre a indigestão é a gente..

o amor, para atingir seu nível mais alto, exige um constante desvencilhamento de acessórios desnecessários...

Ou, "quando um não quer, dois não amam".

La pasión del tango y la delicadeza del vals

pode causar abaulamentos de compreensao na inteligencia emocional

Gostei de sua Bailarina, desta terça celestina.

Você é mais: é o homem bimilenar!!!

A mulher que enlouquecia...acabou enlouquecendo...

Isto é o que eu chamo de amor complementar!!!

Eu quero uma paixão verde,pra acabar com a minha falta de ar...

faltou um fundo musical com 4 cabeludos de Liverpool...

To achando que você deve amarrar e enganchar muito bem.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Guacamole


Doutor delegado

Eu estava quieto no meu canto, em paz e sossego quando ela disse que estava louca para entacar meus nachos.

Achei que ela estava enchilada e me achando meio burrito, mesmo assim não podia recusar suas carnitas até porque eu não sou de ter a guacamole.

Respondi que tequilla sempre champurrado, especialmente vendo ela tostada e quesadilla.

Dei-lhe um chilaquile no mole e uns totopos no pico de gallo.

Aí ela me disse que sem salsa nada de frijoles na sope. Foi uma michelada no meu tepache.

Gritei que ou ela horchata ou ia dar uma michelada no nopales.

Ela saiu pela rua pulque tamal e deu de cara com a viatura.

Me explica, doutor, eu não tenho razão me tejate?